NOSSA LUTA

sábado, 31 de março de 2012

MENTIRAS. DIFAMAÇÃO. FALSAS DENÚNCIAS E ACUSAÇÕES. Até o acusado defender-se, já se passou tempo suficiente para o guardião fazer literalmente a ‘caveira’ do outro genitor.VINGANÇA.

A Síndrome da Vingança
Publicado por: filhosfelizes em: abril 6, 2010

Em: Deixe um comentário


A Alienação Parental funciona como um ímã negativo, que repulsa a presença de um dos pais na relação com o filho. Normalmente, esse ímã é o guardião da criança, a própria mãe, com o intuito de afastar o filho da convivência com o pai. O motivo essencial desse comportamento: VINGANÇA. Seja por causa de adultério, por brigas, por um casamento que não deu certo, pela ex-mulher não aceitar um novo relacionamento na vida do pai de seu(sua) filho(a). Ou por esses motivos todos juntos.

O fato é que para as pessoas que lutam incansavelmente para afastar os filhos do pai, basta um copo d’água para desatar uma tempestade.

Esse comportamento, que em síntese, causa uma série de conflitos especialmente para a CRIANÇA, tem raízes profundas. A Síndrome consiste numa série de sintomas, oriundos de comportamentos que se alongam, se agravam e se instalam na vida dos ex-cônjuges e do(s) filho(s).

Mas, o que mais impressiona é que a presença desse comportamento não acontece somente na vida de pais separados. Ela essencialmente começa DURANTE O CASAMENTO(ou relacionamento). E em muitos, muitos casos, o casal nem chega a separar-se. Casados, vivem um inferno conjugal, e passam a usar de artifícios dentro do próprio relacionamento para fazer dos filhos seus aliados.

“A sua mãe, aquela…”… “O seu pai… aquele…”

A enlouquecida e infeliz vida conjugal se torna uma desequilibrada vida em ‘família’. E para manter as aparências, esse casamento se arrasta por anos, e quando há a separação de fato, e também de Direito, essa ferida salta e vai parar, em muitos casos, nas delegacias de polícia.

O que era vida privada, se torna questão pública. O que era somente entre quatro paredes, vira tema judicial. E na maioria dos casos, baseada em MENTIRAS. DIFAMAÇÃO. FALSAS DENÚNCIAS E ACUSAÇÕES. Até o acusado defender-se, já se passou tempo suficiente para o guardião fazer literalmente a ‘caveira’ do outro genitor.

Nas investigações mais aguçadas de psicológos e assistentes sociais, fica óbvio o discurso maligno do guardião da criança que desde cedo já plantava sementes de discórdia contra o outro para afastar o afeto entre os dois.

Além das mentiras, o comportamento manipulador do guardião se encobre por falsos sentimentos de amor, de cuidade e de afeto. ‘Um papel de presente bonito para envolver um presente estragado.’

Outro dia conversava com uma amiga advogada, que era (no passado, era) uma ativista sincera das questões de gênero, especialmente no que se referia à violência contra a mulher… Nossa conversa parou num ponto extremo e essencial. Ela não mais advoga em favor de uma causa única, em favor de ‘gênero’, e eu perguntei a ela porquê. A resposta:

“Amiga, porque percebi que em muitos casos a catarse não corresponde ao discurso”.

Simplificando: nesses casos, os quais a amiga se refere, o discurso da mulher sobre o homem é um… Mas a realidade demonstra ser outra.

Sim, a realidade em muitos casos não é a dos boletins de ocorrência.

Não que essa não seja uma causa justa. A violência contra a mulher é tão cruel quanto a violência contra as crianças. Mas a questão é que emocionalmente afetada, a mulher pode utilizar-se de falsas acusações, falsas denúncias, falsas desmoralizações para afastar o filho da convivência do Pai e destruir com a vida do ex-cônjuge que supostamente “desgraçou a sua vida”.

A vitimização nesses casos não é um projeto legítimo. Ela encobre a Vingança, repetimos. Ela esconde o desejo incontrolável do guardião da criança em destruir com a vida daquele que um dia foi casado, ou se relacionou.

Seria talvez pelo desejo incofesso de que gostaria que este continuasse a ser seu companheiro?


Movimento Filhos Felizes

filhosfelizes@yahoo.com.br

15 comentários:

mahgaroh disse...

VINGANÇA.é só que um genitor alienador consegue ver...

Jorge Alexandre Lucas disse...

O texto conseguiu resumir bem o que acontece na alienação parental. Eu vivo essa realidade, concordo contigo em tudo. Meu casamento durou dois anos, minha ex companheira, engravidou de próposito para forçar o casamento e isso aconteceu, mas depois ela se desinteressou, queria sair de casa eu acho, o pai a reprimia e eu não começou a sair com outros parceiros, até que terminamos. Daí ela se tocou, mas pra mim já era tarde, já tava noutra. Ela nunca me perdoou por isso. Ela nunca se perdoou por isso, a bem da verdade. E se vinga na criança. hoje nossa filha tem 12 anos. ela sofre, mas começa a compreender a questão.

Naiara Bego disse...

eu estou separada do meu filho a 3 anos ele mora em campinas com a avó, tambem sofremos de alienação parental, realmente o judiciario de campinas é extremamente lento.ja troquei de advogado tres vezes e nada tem dois processos,meu filho foi morar com avó ainda bebe e nem sabe que eu sou a mãe dele...

Deborah disse...

Somos vitimas da SAP ha 8 anos , minha unica filha e eu. na epoca nao havia Lei e eram pouxcas as maes que sofrima disseo. Sou decriminada aonde eu moro, me olham como se " alguma ela aprontou" me filha agora é Alienada financeira pois mora nos EEUU, enquando passo por muitas dificuldades depois que tive minha empresa fraudada pelo genitor.
Deus isso e uma tortura"

Carla disse...

Meu ex era muito violento, engravidei e quando fui ter o bebe aproveitei para vir embora pra casa da minha mãe em outra cidade sem ele saber, pq ele ameaçava me matar, meu filho está com 1 ano e 11 meses, o pai dele passou 1 ano sem dar noticia e agora me acusa de alienação parental pra tentar conseguir a guarda do meu filho. Ele sempre me ameaçou de roubar meu filho, por isso não deixava ele sair com ele, dai ele ficou com raiva sumiu e veio com essa acusação. Na realidade ele nunca aceitou a separação e agora está usando meu filho pra me fazer sofrer e me acusando de tentar afastar ele do filho, estou desesperada, não sei mais o que fazer. Ele não quer conversar entrar num acordo, e meu filho nem fala ainda, mas já está com medo do pai, não é influencia minha, meu filho ainda é um bebê, mas chora muito qdo vai com o pai,acho que é pq ele é pequeno e ainda mama no peito, e eu sofro muito com isso, de ver meu filho sofrer com tudo isso, estou desesperada, gostaria de pelo menos conversar com alguém sobre isso, o que eu devo fazer?

Marcia Durães disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Carla, não tenha medo. Pois, se você tem testemunhas de tudo isso que ele fez, você pode pedir no processo que ele seja avaliado psicológicamente. Se a criança sofre ameaças, dê parte na polícia sobre as ameaças. Se defenda legalmente. Não tenha medo, pois, a lei da alienação parental é para casos em que isso realmente ocorre e, não para os casos de pais violentos onde a mãe tem obrigação de proteger a criança.

jadi disse...

estou sentindo na pele o que é alienação por parte do meu ex marido e minha ex sogra,induziu meu filho ao álcool e as drogas a vida inteira falou mal de mim,hoje com 26 anos meu filho esta com serios problemas de saúde mental internado em uma clinica psquiatrica.

maria cristiana souza dos santos disse...

Nós estamos passando por um processo de mentiras, difamação e calunias está cada dia mais insuportável, quando o meu neto vem para minha casa fico com o coração na mão pois aqui tem escada, um bom espaço mais parece uma maldição pois ele as vezes ele cai e se machuca por mais que nós cuidamos, ás vezes se rala, fica rochinho pois ele é branquinho, e hoje para poirar meu filho o levou para passear no parque e foram andar de bicicleta e cairam, como o pequeno estava na cadeirinha na frente machucou o rostinho e fez alguns arranhões, o meu filho também se arranhou bastante, ele quase enloqueceu pois já imaginava o que estaria por vim, passou o meu neto no médico, meu filho até esqueceu dele mesmo, mais ao ir entregar o meu neto para a mãe, a mãe, a outra avó e o tio fizeram uma confusão e acusaram meu filho de agreção, falaram que meu filho tentou agredir a mãe do meu neto, sendo que o irmão dela saiu de dentro da casa chingando meu filho de agressor, nós estamos vivendo um inferno há dois anos. por favor me orientem, pois amo meu neto demais e ele fala que vai morar aqui em casa, quando é hora de ir embora meu filho tem que enganar ele, quando vai entregar ele para a mãe ele chora e quer vim com o pai, será que se meu filho o agredisse ele seria tão apaixonado pelo pai ??? por favor me ajude.

Izabel disse...

Passei 30 anos, sendo humilhada, explorada por sogra e filha de meu marido, ele era esquizofrênico e jogador,e me transformou em seu bichinho de tortura, fiz o que pudia e não pudia para criar meus filhos, 3 filhos, minha cunhada solteirona usou de todos os meios para ganhar dinheiro com isso, depois dos 52 anos fui cursar uma universidade, ela (solteirona)tumultuou a cabeça dos meus filhos e se fez de vítima boazinha, fazendo com que os meus filhos me repudiasse como se eu fosse uma criminosa, hoje estou desacreditada pela minha família e pela família dele, estudei meus filhos, guardo muitos segredos para proteger meu marido que se tornou o bonzinho da história, vivo uma total miséria moral sem nunca ter causado mal. Tenho tudo escrito mas não consigo escrever pela dor que tudo isso me causou.

Unknown disse...

Desculpa mas o texto é machista. Sofro de aliençao pelo pai do meu filho que faz falsas denuncias o tempo todo contra mim. E o texto refere se somente figura da mulher como alienadora.

Unknown disse...

O homem é tao vingativo qto a mulher!

Unknown disse...

O homem é tao vingativo qto a mulher!

Unknown disse...

Desculpa mas o texto é machista. Sofro de aliençao pelo pai do meu filho que faz falsas denuncias o tempo todo contra mim. E o texto refere se somente figura da mulher como alienadora.

Anônimo disse...

Concordo com o que disseram.O homem é tão vingativo quanto.Meu ex marido não se conformou com o divórcio,denigre minha imagem onde moro pois tem amigos aqui.Meu filho é adulto mas ele conseguiu coloca-lo contra mim e agora meu filho vive me dizendo coisas tão absurdas que nem sei como tenho conseguido seguir em frente.Talvez porque seja agora a única responsável por minha filha que tem depressão profunda.Sempre fui considerada exagerada no meu cuidado com os filhos e agora ele diz que qualquer gracinha que eu fizer,me acusará de maus tratos com ela,sendo que ela é maior e lúcida.Fico paralisada,dói muito isso tudo.