NOSSA LUTA

domingo, 8 de abril de 2012

É dever de cada um dos profissionais, sejam psicólogos, assistentes sociais, advogados, médicos, promotores, juízes, desembargadores, preparar-se, abrir-se para novos conhecimentos,...é MAS ELES SÃO UNS ALIENADOS...

A SAP complica as avaliações psicossociais e o processo legal explorando as preocupações e ansiedades normais dos profissionais que tentam ajudar as famílias no decorrer dos processos judiciais.
As falsas acusações abundam e devem ser cuidadosamente avaliadas porque são frequentemente irreais e servem apenas como tentativas de excluir um dos genitores da vida da criança. É importante nesses casos
que as intervenções incluam encaminhamentos do alienador para terapia, pra que possa superar seus conflitos pessoais e questões atinentes à conjugalidade não resolvida, poupando os filhos de seu processo inacabado e mal elaborado.
O genitor que foi alienado e as crianças, para que possam ser ajudados a recuperar o vínculo saudável que foi atingido muitas vezes de forma profunda necessitam de um terapeuta que restitua a confiança nas crianças em relação ao genitor que foi atacado e a capacidade de amá-lo.
Nos Estados Unidos, tal como mencionamos, há uma série de medidas que não existem em nossas leis tal como nas leis norte-americanas. No entanto entendemos que o bom senso dos operadores do Direito deva ser suficiente para que determinações judiciais possam ter lugar, senão para punir, pelo menos para restaurar a relação que está sendo destruída e protegê-la por todos os meios ao seu alcance.
É dever de cada um dos profissionais, sejam psicólogos, assistentes sociais, advogados, médicos, promotores, juízes, desembargadores, preparar-se, abrir-se para novos conhecimentos, ser sujeito e agente de mudança de mentalidade, sejam mudanças legislativas que apóiem ações efetivas e ágeis comprometidas com a defesa do maior interesse da criança.

Psicóloga e psicanalista. Palestrante e conferencista em eventos ligados a psicologia e ao direito. Especialista em psicologia clínica e psicologia jurídica pelo CRP-SP.

Um comentário:

mahgaroh disse...

A SAP complica as avaliações psicossociais e o processo legal explorando as preocupações e ansiedades normais dos profissionais que tentam ajudar as famílias no decorrer dos processos judiciais.
As falsas acusações abundam e devem ser cuidadosamente avaliadas porque são frequentemente irreais e servem apenas como tentativas de excluir um dos genitores da vida da criança. É importante nesses casos que as intervenções incluam encaminhamentos do alienador para terapia, pra que possa superar seus conflitos pessoais e questões atinentes à conjugalidade não resolvida, poupando os filhos de seu processo inacabado e mal elaborado.